Página Inicial



Profissional dedicada e parceira do Portal Educacional Ludus

Débora M. R. Silveira

Débora M. R. Silveira

EMEB Santos Dumont

Sapucaia do Sul

  • PM Nova Prata
    PM Nova Prata

  • PM Veranópolis
    PM Veranópolis

  • PM Farroupilha
    PM Farroupilha

  • PM Dois Irmãos
    PM Dois Irmãos

  • PM Sapucaia do Sul
    PM Sapucaia do Sul

  • PM Ivoti
    PM Ivoti

  • PM Bom Princípio
    PM Bom Princípio

  • PM Parobé
    PM Parobé

  • PM Capela de Santana
    PM Capela de Santana

  • PM Lindolfo Collor
    PM Lindolfo Collor

  • PM Morro Reuter
    PM Morro Reuter

  • PM Presidente Lucena
    PM Presidente Lucena

SALA DE RECURSOS

SEMANA DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

 


E.M.E.F. Lourdes Fontoura da Silva
Sala de Recursos Multifuncional


Projeto Semana da Pessoa com Deficiência - 2016
De 21 a 28 de Agosto de 2016


Tema em consonância com a XXII Semana Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência -
Faders (Fundação de Articulação e Desenvolvimento de Políticas Públicas para PcD e PcAH no RS):
“Conviver é acolher as diferenças”.


1. JUSTIFICATIVA

A inclusão escolar tem sido respaldada por um discurso que parte em defesa de uma sociedade inclusiva que aceite e garanta os direitos das pessoas com deficiências. Segundo Mantoan (1999, p.7) a “educação para todos” só se evidencia nos sistemas educacionais que se especializam em todos os alunos e não apenas em alguns deles, os deficientes em geral. Há muito ainda a ser feito para que se possa caracterizar um sistema como apto a oferecer oportunidades educacionais a seus alunos, de acordo com as especificidades, de cada um.

A inclusão social é incondicional e, portanto, não admite qualquer forma de segregação. Esta opção de inserção tem como meta principal não deixar nenhum aluno no exterior do ensino regular, desde o início da escolarização, e questiona o papel do meio social no processo interativo de produção das incapacidades, porque o deficiente mental tem o direito de se desenvolver como as demais pessoas, em ambientes que não discriminam, mas valorizam as diferenças (Mantoan, 1997, p. 117).

Sassaki (1999, p. 41) vai ao encontro dessa perspectiva e defende a inclusão social como um processo bilateral no qual as pessoas, ainda excluídas, e a sociedade, buscam em parceria, equacionar problemas, decidir sobre soluções e efetivar a equiparação de oportunidade para todos que, portanto, se beneficiariam dessa convivência na diversidade.

Sendo assim, esta proposta busca desencadear ações, na Semana da Pessoa com Deficiência, no ambiente escolar, que possam contribuir para a reflexão a partir das experiências reais vivenciadas no contexto escolar, com todos aqueles que estão sujeitos às experiências do meio social, além da deficiência.

A escolha do tema a ser trabalhado durante a Semana da Pessoa com Deficiência, Os Cinco Sentidos e Aprendizagem é por acreditar que não somente os estudantes com alguma deficiência, mas todos aprendem melhor quando têm os cinco sentidos explorados para auxiliá-los na sua aprendizagem. Conforme, Bruna Souza Cruz, da UOL, São Paulo:

“O ser humano pode aprender de diversas maneiras. Uns acreditam ser mais visuais, ou seja, eles têm facilidade de estudar lendo e olhando imagens. Outros acham que aprendem melhor ouvindo as explicações e lendo em voz alta, os chamados auditivos. Há ainda os que se consideram cinestésicos, aqueles que aprendem por meio da percepção dos movimentos do corpo misturado aos sentidos, como tato, olfato e paladar.”

Apesar dessas classificações circularem entre os especialistas na área da aprendizagem, há quem acredite que essas habilidades serão melhores aproveitadas se forem utilizadas em conjunto. Ou seja, quanto mais sentidos forem explorados, melhor será o processo de aprendizado.

“O sujeito vai aprender melhor e as informações vão fazer mais sentido [para ele] na medida em que seja possível disponibilizar situações que sejam multissensoriais. Ver, tatear, ouvir, sentir cheiro, o máximo possível”, explica Eder Pires de Camargo, doutor em educação e professor do departamento de física e química da Unesp (Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho) de Ilha Solteira (680 km de São Paulo)”.

A escolha do logotipo para este ano, a Mandala, cujo termo sânscrito que significa “círculo” ou “completude”, simboliza o Universo, bem como representa a procura pela paz interior, procura essa que é representada pelos padrões entrelaçados e que têm como finalidade a própria orientação do pensamento, uma vez que auxiliam na concentração, atenção e reflexão.

Na Psicologia
Carl Gustav Jung estudou em profundidade a simbologia das mandalas, relacionando-as à simbologia universal do círculo e da representação simbólica da psique com as funções de conservação da ordem psíquica, tomada de consciência, integridade e criação.

Por este motivo, entendemos que em se tratando de Inclusão estamos todos interligados em nossas ações no dia a dia, sempre no intuito de auxiliar os estudantes, pois simboliza alguns aspectos da personalidade que necessitam ser clareados ou fortalecidos: como medo, ansiedade, relaxamento psicofísico, centramento, enraizamento, atenção e concentração.

2. OBJETIVO GERAL

Promover o debate, o diálogo e reflexão sobre a importância da participação dos PcDs na sociedade. Ações durante a semana que buscam conscientizar a comunidade escolar quanto ao direito de serem protagonistas delas mesmas.

Buscar a conscientização e o exercício pleno dos direitos das pessoas com deficiência em todos os espaços, promovendo a inclusão social.

2.1 Objetivos Específicos

• Envolver as famílias, através de um encontro com profissionais da educação (Mesa Redonda - com convidados), beleza (demonstração Mary Kay), lazer e exposição dos trabalhos realizados na Sala de Recursos da escola, em vídeo;
• Convite às pessoas da comunidade com alguma deficiência para darem seus depoimentos de superação;
• Envolver os profissionais da educação e os estudantes da escola, com diferentes atividades que serão desenvolvidas no decorrer da semana, no intuito de sensibilizá-los e levá-los à reflexão sobre a temática, conforme descrição abaixo, com base nos cinco sentidos sensoriais: tátil, olfativo, auditivo, visual e gustativo.
• Recreio dirigido com atividades orientadas pelas profissionais de apoio, com jogos de dama, dominó, elástico, circuito, entre outros;
• Exposição de cartazes pelos corredores da escola, com a temática da Inclusão;
• Exposição de móbiles e mandalas confeccionadas pelos estudantes da EJA, orientados pela professora Kênia;
• Exposição da silhueta dos estudantes da SRM, em tamanho real, para que eles mesmos se identifiquem no ambiente escolar, na parede da escadaria que dá acesso ao andar superior.

Os corredores da escola serão nomeados conforme cada um dos sentidos a ser trabalhado. Sendo assim, teremos: corredor olfativo, com sachês de aromas no corredor de entrada da escola; corredor tátil com painéis confeccionados por pais e estudantes; corredor visual, das cores; corredor das letras e números; corredor das formas geométricas. As atividades auditivas e
gustativas fazem parte de outra etapa listada posteriormente.

• Workshop de Jogos matemáticos, desenvolvidos pelas professoras Maria Cristina e Karina.
• Oficina de Experimentação Sensorial, desenvolvida pela professora do AEE, Rosi Venditi, onde serão desenvolvidos testagens com os estudantes da escola.
• Oficina de Experimentação Sensorial, desenvolvidas pela professora do AEE, nos três turnos de aula na escola: os estudantes irão experienciar atividades de pintura com os pés, de um painel, sentados; pintura com os pés envoltos em plástico bolha; bolha de sabão gigante; garrafas sensoriais com material diverso; áudio Barber Shop;
• Chá para as mães dos estudantes da SRM e equipes;
• Mesa Redonda com mães, professoras, equipe pedagógica e diretiva, convidados especialistas em educação, para discussão da temática “Autoestima e Superação, dando a volta por Cima”;
• Sessão de filmes com estudantes sobre a temática: a definir com cada professor.
• Encerramento da Semana da Pessoa com Deficiência - distribuição de pipocas coloridas, juntamente, com mensagem de conscientização e agradecimento aos participantes das ações da Semana da PcD.

3. CRONOGRAMA

Semana de 21 a 28 de agosto de 2016.

22/08/2016 - (segunda-feira)
• Recreio dirigido com atividades orientadas (M/T);
• Exposição de cartazes com a temática (M/T/N - EJA);
• Exposição dos trabalhos pelos Corredores Sensoriais (M/T/N - EJA).

23/08/2016 - (terça-feira)
• Recreio dirigido, jogos e brincadeiras (M/T);
• Sessão de filmes definido pelo professor. Em anexo lista de sugestão (M/T/N - EJA) Opção 1;
• Workshop Sudoku 4x4, Formas Geométricas, 8º e 9º anos, interação dos estudantes,orientados pela professora Maria Cristina (T);
• Jogos de mesa, 6º e 7º anos, em sala de aula, professora Karina (T).

24/08/2016 - (quarta-feira)
• Abertura oficial da Semana da Pessoa com Deficiência com representantes da SMED, Conselho Escolar, APM, Equipes Diretiva e Pedagógica, Comunidade em Geral, Estudantes da EJA e professores, às 19 h;
• Apresentação do estudante Igor Mateus dos Santos (EJA) - Poema “Deficiências” de Mario Quintana (N);
• Recreio dirigido com atividades orientadas (M/T);
• Oficina de Experimentação Sensorial orientados pela professora do AEE, Rosi (M/T/N - EJA).

25/08/2016 - (quinta-feira)-
• Recreio dirigido com atividades orientadas (M/T);
• Mesa Redonda com convidados especialistas em Educação, para discussão da temática “Autoestima e Superação, dando a Volta por Cima”;
• Demonstração e dicas de beleza, produtos Mary Kay para as mães (M);
• Apresentação dos trabalhos desenvolvidos na SRM (M);
• Chá de confraternização, com as mães dos estudantes da SRM, convidados e equipes pedagógica e diretiva (M);
• Sessão de filmes definido pelo professor. Em anexo, lista de sugestões (M/T/N – EJA) Opção 2.

26/08/2016 - (sexta-feira)
• Recreio dirigido com atividades orientadas (M/T/N - EJA);
• Encerramento da Semana PcD e avaliação das ações pelas equipes pedagógica, diretiva e professores envolvidos no projeto;
• Distribuição de pipocas coloridas a todos os estudantes da escola, juntamente, com mensagem de conscientização e agradecimento (M/T/N – EJA).

4. PÚBLICO-ALVO:

Estudantes da EMEF Lourdes Fontoura, nos turnos Manhã, Tarde e Noite (EJA).

5. AVALIAÇÃO

O projeto será avaliado de acordo com o envolvimento e participação, respeitando a limitação de cada um. E posteriormente, observar o retorno do envolvimento com o projeto e possíveis sugestões para o próximo ano.

PROFESSORES ENVOLVIDOS NO PROJETO

• Equipe diretiva da EMEF Lourdes Fontoura
• Equipe pedagógica da EMEF Lourdes da Fontoura
• Professora do AEE - Rosi de Oliveira Venditi
• Professores da EMEF Lourdes Fontoura da Silva

 

TEXTO DE ABERTURA DA SEMANA DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

Boa noite a todos, sejam todos bem vindos a nossa escola. Sou a professora Rosi Venditi, atendo os estudantes com alguma deficiência na Sala de Recursos da EMEF Lourdes Fontoura. Este é um momento para juntos refletirmos como estamos lidando com a questão da Inclusão Escolar, em nossa escola.

A inclusão escolar tem sido respaldada por um discurso que parte em defesa de uma sociedade inclusiva que aceite e garanta os direitos das pessoas com deficiências. Uma “educação para todos” só é possível nos sistemas educacionais que se especializam em todos os alunos e não apenas em alguns deles, os com alguma deficiência. De uma maneira geral, há muito ainda a ser feito. Para que se possa caracterizar um sistema como apto a oferecer oportunidades educacionais a seus estudantes, de acordo com as especificidades de cada um.

A inclusão social é incondicional e, portanto, não admite qualquer forma de segregação. Esta opção de inserção tem como meta principal não deixar nenhum aluno fora do ensino regular, desde o início da escolarização, e questiona o papel do meio social no processo interativo de produção das incapacidades, porque a pessoa com alguma deficiência tem o direito de se desenvolver como toda e qualquer pessoa, em ambientes que não discriminam, mas valorizam as diferenças. É neste sentido, que defendemos a inclusão como um processo em parceria com a sociedade, na busca de parcerias, equacionar problemas e efetivar a equiparação de oportunidades que beneficiam a convivência na diversidade.

Sendo assim, nossa proposta busca desencadear ações, na Semana da Pessoa com Deficiência, no ambiente escolar, que possam contribuir para a reflexão a partir das experiências reais vivenciadas no contexto escolar, com todos aqueles que estão sujeitos às experiências do meio social, além da deficiência.

A escolha do tema a ser trabalhado durante a Semana da Pessoa com Deficiência, Os Cinco Sentidos e Aprendizagem é por acreditar que não somente os estudantes com alguma deficiência, mas todos aprendem melhor quando têm os cinco sentidos explorados para auxiliá-los na sua aprendizagem.

Logo mais, convido a todos para visitarem a Oficina de Experimentação Sensorial e as dependências da escola para que visualizem um pouco do trabalho aqui desenvolvido.

Agradeço a participação de todos os envolvidos neste projeto, em especial as profissionais de apoio, e também, aos professores, equipe diretiva e pedagógica que auxiliaram para a concretização deste evento na nossa escola.

A todos os presentes, obrigada por compartilharem conosco deste momento de grande alegria!

 

PROFESSORA DO AEE

Rosi Venditi


Galeria de fotos







Crianças desaparecidas
Creative Commons Copyright © 2002 - 2017 Lema Tecnologia Direitos reservados
Página inicial do site Lema Tecnologia Blog Ludus Facebook Ludus Twitter Ludus Portal

PRINCIPAL

Educação Infantil

Anos Iniciais

Anos Finais

EJA